Dentre as novas áreas de atuação, a fisioterapia tem papel de destaque no cuidado dos animais devido aos seus benefícios e técnicas de reabilitação, já consagradas na medicina humana.

A fisioterapia animal surgiu nos anos 70, inicialmente como uma adaptação de técnicas utilizadas na fisioterapia humana aplicadas principalmente em equinos. Com os anos estas técnicas passaram ser estudadas e utilizadas também em pequenos animais. Atualmente a fisioterapia em cães e gatos já está difundida na classe médica, com publicações e trabalhos científicos comprovando a eficácia de suas técnicas, já adaptadas ou especificamente desenvolvidas para estes.

Durante as sessões, podem ser combinados diversos métodos de aplicação da fisioterapia, dependendo da patologia (doença) do animal. Muitas vezes, algumas destas técnicas, principalmente de cinesioterapia, são ensinadas aos proprietários, para realização diária de fisioterapia nos pacientes.

A fisioterapia aplicada à medicina veterinária é indicada em todas as enfermidades ortopédicas e neurológicas, bem como no controle da obesidade e manutenção do condicionamento físico.

Nas enfermidades ortopédicas, a fisioterapia veterinária trabalha o controle da dor e o aumento da amplitude dos movimentos, melhorando a força e a resistência muscular. Também auxilia na redução do tempo de consolidação óssea de fraturas, cicatrização de feridas e recuperação pós-cirúrgica.

Nas complicações neurológicas a fisioterapia veterinária ajuda a restabelecer a coordenação motora e o equilíbrio, além da reeducação de caminhadas, impedindo assim a evolução da atrofia muscular.

Nos animais idosos a fisioterapia melhora a qualidade de vida, aliviando a dor das doenças articulares, mantendo a força muscular e a amplitude de movimentos, melhorando a defecação e a micção, facilitando assim o dia a dia de seu animal.

O nosso setor de fisioterapia dispõe de várias modalidades de fisioterapia veterinária e, na maioria dos casos, fazemos uma associação das mais indicadas para cada caso.

MASSOTERAPIA
A aplicação de massagem tem grande uso na fisioterapia veterinária. O ciclo dor-tensão-dor é uma das grandes indicações das técnicas de massagem, pricipalmente em problemas de coluna, comuns na rotina clínica. A massoterapia resulta em diminuição de tensão muscular e consequente diminuição da dor, quebrando este ciclo.

Além disso, a massagem aumenta o fluxo sanguíneo local, proporcionando uma melhor oxigenação e também retirada de resíduos metabólicos (aumenta drenagem venosa e linfática ), o que auxilia o retorno à função muscular e assim grande alívio. Este aumento na circulação leva também ao aumento da temperatura local e da elasticidade muscular, acelerando sua recuperação.

Em muitos casos, problemas musculares vêm associados à adesões e contraturas musculares (nódulos) que podem ser mobilizados e desfeitos com sessões de massagem.

Por último, a massoterapia libera endorfinas, o que confere um efeito relaxante natural à tecnica, além de ser muito prazerosa.

HIDROTERAPIA
A hidroterapia consiste no uso da água como forma de tratamento, terapia. Esta técnica promove diversos efeitos benéficos nos animais, desde fisiológicos até psicológicos. Tendo em vista que na água reduz-se o peso do animal e o impacto do exercício, obtém-se as vantagens desta terapia.

A terapia na água promove aumento na circulação, diminuição da dor, aumento da flexibilidade e mobilidade, fortalecimento de tônus muscular e ainda um grande incremento no equilíbrio, coordenação e manutenção de postura. Um animal paralisado dos membros posteriores, por exemplo, na água ganharia mobilidade e possibilidade de realizar diversos exercícios que em solo seriam impossíveis. Além disso, a água também funciona como um ótimo estímulo sensorial e proprioceptivo, e que complementa perfeitamente a terapia de nosso paciente.

A água aquecida, promove o relaxamento muscular e aumento de circulação, ajudando muito em contraturas, alívio de dor e relaxamento geral do animal.

O exercício na água também permite a correção de posturas inadequadas, uso de membros atrofiados e fortalecimento muscular sem impacto em articulações.

Os efeitos psicológicos não podem ser descartados. O próprio alívio da dor já promove o bem estar e melhoria da qualidade de vida, mas com certeza a mobilidade que o animal ganha na água faz com que adquira a confiança e a independência muitas vezes necessária para voltar a andar. Em muitos casos, o animal tem medo de apoiar uma pata por trauma psicológico com a mesma, e na água perde este medo apoiando espontaneamente.

Por fim, a hidroterapia pode ser usada como um artifício para promover o emagrecimento e fitness do animal. A perda de calorias é considerável, um programa de emagrecimento e fortalecimento tem grandes avanços utilizando-se a água.

ELETROTERAPIA:
-FES: aparelho que por meio da eletromioestimulação, promove a contração do músculo e é indicado em casos de paralisia, atrofia muscular, neuropatia ou flacidez.
-TENS: aparelho de eletroterapia que não promove no entanto contração da musculatura e propicia analgesia e relaxamento muscular utilizando diferentes freqüências de onda.
-LASER: terapia usada para aumento do metabolismo local diminuindo inflamação e a dor e reduzindo o tempo de consolidação óssea nas fraturas e de cicatrização de feridas.

CRIOTERAPIA: as propriedades terapêuticas e analgésicas do gelo são bem conhecidas por todos.

Entre em contato com o Dr. Luiz Bovolato,  especializado na área, pelo fone 3226-7040 para tirar suas duvidas e programar seções de reabilitação para o seu animal.